Copy
Newsletter Ana Rio Remax, Novembro 2015

Últimos Negócios Fechados:

 
Moradia T4
St. Tirso

 
Apartamento T2+1
Casa da Música





Baixa de Preço:

 
Apartamento T1 - Serpa Pinto
Agora 42.500€

antes 45.000€

 


RECOMENDO!
Alto Desempenho com PNL

(clicar na imagem)

Luz ao fundo do túnel para o bairro do Aleixo

O  Tribunal  de   Contas  devolveu    à     Câmara   Municipal   do   Porto  o contrato  assinado  com    o Fundo    Especial   de Investimento Imobiliário Fechado (Invesurb) do bairro do Aleixo, que prevê a  entrada da Mota Engil, por considerar que não se encontra sujeito a fiscalização prévia. Ou seja, há  luz  verde para “dar uma nova vida” ao bairro do Aleixo.

Segundo a Lusa, que teve acesso a esta deliberação do TdC, datada de sexta-feira, a alteração ao contrato entre o município e o Invesurb não precisa de visto prévio, pelo que a CMP pode notificar a Mota-Engil para injetar no fundo os dois milhões de euros necessários para que a operação urbanística do bairro do Aleixo seja retomada.

Em abril do ano passado, o presidente da CMP, Rui Moreira, ordenou a realização de uma auditoria ao Invesurb para demolir o bairro do Aleixo criado pelo anterior autarca, Rui Rio, que concluiu que a alteração ao contrato inicial daquela operação imobiliária devia ter sido enviada para fiscalização prévia para o TdC, o que aquele executivo não fez.

O Invesurb foi criado pelo anterior executivo camarário para demolir as torres do Aleixo, sendo que, em contrapartida da alienação dos terrenos do bairro, o município receberia unidades de participação do fundo, bem como imóveis próprios construídos ou reabilitados e/ou entrega de casas prontas a habitar, todos com fins de habitação social. Na ocasião, a GESFIMO – Espírito Santo Irmãos, Sociedade Gestora de Fundos de Investimento Imobiliário, SA, foi a única concorrente a apresentar proposta.

Em fevereiro, a autarquia anunciou que a Mota Engil é o novo parceiro privado do Fundo Imobiliário criado para demolir o bairro do Aleixo.

Entretanto, e de acordo com o Público, a Mota-Engil tem agora 20 dias para injetar os dois milhões de euros previstos no Inversurb. Para Rui Moreira, “já não há impedimentosque justifiquem o impasse em torno do bairro municipal. “Estamos naturalmente satisfeitos”, disse o presidente da autarquia, à margem da abertura da 3ª edição da Semana de Reabilitação Urbana, no Ateneu Comercial.

 

fonte: idealista.pt

 
Últimos Imóveis Angariados por Ana Rio
VENDA
Apartamento T2+2
Costa Cabral
Preço: €98.000
VENDA
Apartamento T3
Antas House
Preço: €235.000
VENDA
Apartamento T3
Matosinhos Centro
Preço: €115.000
VENDA
Apartamento T2
Lusíada
Preço: €98.000
VENDA
Apartamento T3
Santos Pousada
Preço: €117.000
VENDA
Apartamento T1
S. Mamede Infesta
Preço: €47.000
Share
+1
Share
Tweet
Forward