Copy
Veja este e-mail em seu navegador
Bom dia :)

Eu fazia histórias em quadrinhos quando criança. Inventava histórias, desenhava personagens de palito e preenchia cadernos inteiros com aventuras, reviravoltas e cenas de ação e drama. Em algum momento da vida, deixei o desenho de lado e me concentrei apenas na escrita – não por considerar um meio melhor, mas porque eu tinha mais facilidade ao escrever do que ao desenhar. Às vezes me pergunto como seria a vida caso eu tivesse optado por continuar desenhando e criando histórias.

Avancemos no tempo: entrei para o jornalismo, passei a acreditar que não era bom o bastante para ser escritor, dediquei-me à docência, aprendi a me conectar profundamente com as pessoas e a ajudá-las a aprender, descobri que podia usar isso para mim mesmo, recuperei a fé na escrita (que, na verdade, era em mim mesmo) e criei o Ninho de Escritores. Entre muitos projetos, lancei desafios. Entre muitas atividades, estudei contação de histórias. Em um desses cursos, conheci uma professora de língua portuguesa que recebeu um dos desafios do Ninho e levou-o para seus estudantes da nona série, que agora estão em processo de elaborar um livro juntos a partir dos textos escritos em resposta ao desafio que o Ninho de Escritores lançou.

Esse livro será lançado porque, em meio a milhares de outros motivos e razões, um dia eu decidi me dedicar à escrita.

Obviamente eu não fazia ideia disso e também sequer imagino o que virá pela frente. O que eu sei é que fazer produz efeito no mundo. A gente nunca sabe o que será um evento isolado – aquele domingo, treze anos atrás, em que peguei a caneta e sentei para escrever uma história – e o que será o começo de uma trajetória inacreditável – aquela foi a primeira história de muitas e septuagésima foi vista por um editor e publicada em uma editora grande (esse exemplo é fictício, mas de forma alguma incomum).

Se um bater de asas que gera furacões me ensina alguma coisa é que é preciso bater as asas. A pergunta que fica, portanto, é: quais asas você está batendo?

Quer escrever com o Ninho?

Atualmente, existem quatro modos de você receber o apoio do Ninho de Escritores:

  • participando da comunidade online gratuita do Ninho;
  • fazendo parte dos encontros semanais do Círculo, nosso grupo de prática e diálogo com turmas online e em São Paulo, à noite ou pela manhã;
  • em qualquer lugar, com o Voo Solo, nosso projeto de orientação individual ao desenvolvimento de projetos de escrita;
  • chamando o Ninho para facilitar encontros em sua instituição ou grupo previamente formado.

Apoie o Ninho de Escritores

Sustentar um projeto bacana como o Ninho de Escritores envolve um custo financeiro. Atualmente, este custo inclui sites, e-mail, hospedagem, marketing, aluguel de espaço físico, aluguel de sala virtual, newsletter, papelaria e internet, totalizando aproximadamente R$ 1.075 por mês.

Algumas pessoas incríveis contribuem todos os meses com quantias entre R$ 3 e R$ 50. Essas pessoas são: Celso dos Santos, Cesar Sinicio, Clayson Gomes, Dea Caldas, Fabiano de Jesus, Janaína da Silva, Leandro Quintanilha, Luiz Antonio Magalhães, Paola Mariz, Patrícia Gameiro, Sonia Mercedes e Vinicius Soares. Suas contribuições somam R$ 280 (dos quais R$ 243 vêm para o Ninho após as taxas da plataforma de financiamento coletivo recorrente).

Se você também deseja apoiar o Ninho de Escritores, por favor acesse nossa campanha no link https://apoia.se/ninhodeescritores

Copyright © 2018 Ninho de Escritores, All rights reserved.


Want to change how you receive these emails?
You can update your preferences or unsubscribe from this list.

Email Marketing Powered by Mailchimp
Copyright © 2018 Ninho de Escritores, All rights reserved.


Want to change how you receive these emails?
You can update your preferences or unsubscribe from this list.

Email Marketing Powered by Mailchimp