Copy
A 28ª newsletter do RelevO: Cleveland, Efeito de Leidenfrost, não fique bêbado no Chile
Veja esse email no browser
edição #28 – 4 de fevereiro de 2016
editor Rateus Mibeirete  editor-assistente Lucas Leite
projeto gráfico Marceli Mengarda   revisão Zaniel Danella
BOM DIA, leitor da Enclave — a primeira newsletter orgânica. Com mais uma edição caprichada, entregamos o 28º exemplar ao manter nosso cronograma quinzenal em que a quinzena varia entre 16 e 19 dias. Por outro lado, o RelevO de fevereiro já está disponível aqui.
 
***

Alguns rodopios mentais:
– Art Garfunkel, aquele Garkunfel, anota todos os livros que já leu no próprio site.
Estão separados por década.
– Paul Simon, aquele Simon, tem apenas 1.60m. O que torna o clipe de 'You can call me Al', com Chevy Chase (1.93 m), mais divertido.
– Simon produziu o
único e brilhante disco de Jackson C. Frank, cuja vida absolutamente fodida já foi comentada na Enclave.

– Bônus: do Futurama, Cylon & Garkunfel.
 
#1 O que você vê no gif acima é um dos fenômenos da física mais interessantes entre os três que conhecemos. Trata-se do Efeito de Leidenfrost: ao invés de a gota evaporar em uma superfície mais quente, uma camada de vapor é formada, atrasando a evaporação do líquido — e assim as gotas dançam. Para tanto, é preciso ultrapassar o ponto de Leidenfrost, isto é, uma temperatura altíssima que depende de alguns fatores (como o líquido e a superfície em questão). O YouTube está cheio de exemplos.

Bônus:
Red Hot Nickel Ball, o melhor canal para você procrastinar hoje. Quanto a isso, não há muito a ser explicado.
 
#2 Santiago, capital do Chile, foi fundada em 1541 entre dois braços do rio Mapocho, cuja travessia, devido ao seu tamanho, apresentava um grande risco aos transeuntes — casos de afogamento não eram incomuns. Com o passar dos anos, em meio à expansão da cidade, o rio se tornou um problema ainda maior. Por conta disso, o ano de 1771 marcou o início da construção da Puente de Cal y Canto, sob supervisão do então prefeito Luis Manuel de Zañartu.

Devido às constantes inundações do rio, o trabalho era perigoso e ninguém queria realizá-lo. Além disso, Santiago também apresentava altos índices de violência urbana diária. Zañartu, então, visou a amenizar tal panorama de violência ao demonstrar uma firmeza maior da autoridade com relação àqueles que perturbavam a ordem pública. Enxergando no problema uma oportunidade, ele ordenou a utilização de prisioneiros como mão-de-obra para a construção da ponte. Para isso, estabeleceu um anexo da prisão ao lado do rio, e então deu início à obra.

Muitos prisioneiros morreram devido às péssimas condições de trabalho, e Zañartu precisava de mais mão-de-obra. Seu discurso era o de que proporcionaria uma fonte de trabalho para os desocupados, evitando um foco de delinquência. Ele acreditava ou se valia da crença de que forçar os bêbados, detentos e todos aqueles desprezados pela sociedade a trabalhar significava redimi-los, e assim estabeleceu que quem fosse encontrado bebendo (ou já ébrio) nas ruas seria preso, consequentemente trabalhando na construção da ponte.

Dessa forma, foi possível recolher pessoas nas ruas todas os dias. Desde então, é
proibido beber ou estar bêbado em espaços públicos no Chile e, se você for pego, deverá pagar uma multa de, hoje, 44.955 pesos chilenos (equivalente a 250 reais). Cuidado com o vinho.
 
[por Amanda Arruda]
 
(Comentário do Editor: se a prefeitura de Curitiba adotasse a mesma medida, duas semanas de inspeção na saída do querido Bar do Bigode finalmente tirariam o metrô do papel.)

#3 (&4!) Sobre a Maldição dos esportes de Cleveland, uma das poucas cidades norte-americanas a terem times em três das quatro principais ligas esportivas do país: a NFL, de futebol americano, a NBA, de basquete e a MLB, de baseball. Os fãs são apaixonados e leais, ainda que amargurados. Continuam apoiando as equipes mesmo que elas não cooperem. Isso porque a cidade não tem um time campeão em nada há cinquenta e dois anos. O último título foi conquistado pelos Browns, de futebol americano, na temporada de 1964, dois anos antes do primeiro Super Bowl.

Cleveland nunca foi especialmente conhecida pelo seu sucesso nos esportes, mas nos anos 1980 a suspeita de que algo estava errado na cidade tomou força, justamente por causa dos mesmos Cleveland Browns. Não importa o quão bem eles jogassem durante a temporada, sempre acabavam eliminados da maneira mais dolorosa e inesquecível possível. Muitas das jogadas povoam o imaginário popular até os dias de hoje:

– Em 1980, foi a Red Right 88, a infame chamada que acabou com os sonhos de avançar à semifinal;
– Em 1987, testemunharam uma das campanhas ofensivas mais marcantes da história da liga,
The Drive, que os impediu de ir ao Super Bowl nos últimos segundos de jogo;
– Em 1988, quando estavam a três jardas (mais ou menos três metros) de empatar mais um jogo que os levaria ao Super Bowl, perderam a posse de bola pateticamente, em uma jogada conhecida como
The Fumble;
– Em 2001, fãs emputecidos não deixaram o jogo seguir em frente e causaram uma derrota por W.O após lançarem centenas de garrafas de cerveja em campo;
– Em 2002, o jogador Orlando Brown foi parcialmente cegado por um árbitro numa falta – furioso, o (imenso) Brown chegou a empurrar o árbitro e foi expulso de jogo. Após isso, processou a liga pela sua lesão. Essa foi a última temporada em que Cleveland chegou aos playoffs – a segunda fase da disputa;
– Os Browns seguem na inglória lista de apenas quatro times que nunca chegaram a um Super Bowl.


E isso é só o time de futebol americano

O time de baseball, o Cleveland Indians, também não teve muita sorte nesse último meio século. Seu último título da World Series data de 1948. Desde então, resumidamente:

– Em 1954, Cleveland testemunhou mais um momento lendário no esporte – para o time adversário, como sempre – a chamada
The Catch, uma defesa praticamente impossível de WIllie Mays, dos New York Giants;
– Em 1974, com um elenco horroroso e pouquíssimos torcedores comparecendo aos jogos, alguém teve a brilhante ideia de fazer uma promoção e cobrar
dez centavos por cerveja numa partida contra os Texas Rangers. Com um dólar era possível comprar um ingresso na "geral" e mais cinco (!) cervejas. O resultado foi um pandemônio que durou toda a noite. Jovens, adultos e idosos se uniram e ficaram extremamente bêbados, invadiram o campo (um deles completamente nu), jogaram objetos nos jogadores adversários, fizeram topless nas arquibancadas; tentaram beijar os árbitros; roubaram três das quatro bases e saíram na porrada com o time de Texas. Um caos completo, para se dizer o mínimo. O mais incrível talvez seja que depois de toda a confusão, o Cleveland Indians repetiu a promoção no mês seguinte;
– Em 1993, durante a pré-temporada, um acidente de barco matou dois jogadores, feriu seriamente um e traumatizou para sempre um quarto arremessador do time;

Os Indians chegaram a duas finais, em 1995 e 1997, e perderam ambas (claro), sendo a segunda no último tempo do último jogo, faltando apenas três eliminações para que a Maldição fosse quebrada.


Fãs bêbados invadem o campo na noite da cerveja a 10 centavos

Finalmente, nos voltamos ao time de basquete, o Cleveland Cavaliers. Aqui o caso é um pouco diferente. Não é que eles sempre percam dolorosamente, como nos outros esportes. Não me entenda mal, eles perdem – e dói – mas o Cavaliers sempre foi tão ruim que sequer alimentava a esperança de seus fãs.

– Em 1989, a história das pipocadas se repetiu: momento decisivo, grande jogador em quadra e um momento inesquecível... para o adversário. Com a última posse de bola do jogo, perdendo por um ponto, os Chicago Bulls passaram a bola para Michael Jordan, que acertou uma cesta com o cronômetro zerado e garantiu a vitória. Confira aqui The Shot, um dos arremessos mais icônicos de Jordan. Mais uma jogada que marcaria uma geração, mais uma estaca no coração clevelandense;
– Em 2003, os Cavaliers contrataram o menino de ouro LeBron James. Prata da casa nascido em Ohio, James foi uma grande estrela desde muito jovem, o atleta perfeito para atender aos desejos messiânicos de uma cidade inteira afundada na miséria esportiva;
– Em 2007, chegaram à primeira final da história do time e perderam para o San Antonio Spurs e seu elenco superior. Após mais três anos de derrotas derradeiras e eliminações frustrantes, King James – como era chamado o astro – viu-se obrigado a sair da cidade para encontrar uma equipe vencedora. Num programa especial na ESPN chamado
The Decision, ele anunciou que iria "levar seus talentos" a Miami e se juntar ao Miami Heat, um time odioso que vinha torrando dinheiro para montar o elenco perfeito. 
A decisão enfureceu os torcedores de Cleveland. Traídos, mostraram seu rancor queimando camisas de James aos montes e rasgando outdoors com a imagem do ex-ídolo. Voltavam, enfim, à rotina de perdedores que lhes é tão familiar. Quatro anos depois, LeBron, após ganhar um bicampeaonato em 2012-2013 pelo Heat, decidiu voltar aos Cavaliers, e Cleveland o recebeu de braços abertos. No hard feelings, tout est pardonné, foi a atitude dos fãs, que só querem ganhar um mísero título. Um que seja. Com ele, ao menos há uma chance.


LeBron recebe o carinho da torcida

Na temporada passada, o time foi à final, mas perdeu para o Golden State Warriors. Esse ano, mesmo estando em primeiro lugar em sua conferência, eles acabam de demitir o técnico. Em outras palavras, a Maldição ainda vive! Eis alguns vídeos para curtir em imagens essa Schadenfreude esportiva:


Cleveland: The Factory Of Sadness
Cleveland Browns Fan Who Has Had it 
Cleveland Sports Curse

L'Angelus (1859), Jean-François Millet
 
Archeological Reminiscence of Millet’s “Angelus” (1933), Salvador Dalí
 
E >>>neste<<< link, uma viagem extraordinária, ainda um tanto inexplicável, via YouTube. Você a controla pelo mouse. Repito: você a controla pelo mouse. Podemos apenas transcrever o belo comentário do usuário IEANO6, sem mexer no caps lock: "TALVEZ NEM MESMO OS CRIADORES DESSA ARTE ESTÃO COMPLETAMENTE CONSCIENTES DO QUE CRIARAM.... ESSE É O TIPO DE OBRA EM QUE VOCÊ VAI PENSAR NAS ÚLTIMAS HORAS DA SUA VIDA.... E DEPOIS QUE SEU CORAÇÃO PARAR... E SEU CORPO DESLIGAR... VOCÊ RESSURGE EM SUA PRÓPRIA OBRA-PRIMA.. E VOCÊ VIVE PARA SEMPRE... VOCÊ SE TORNA IMORTAL.....".  Aqui, a explicação.
Pearl Jam - Ten (1991)
Nas -
Illmatic (1994)
DJ Shadow -
Endtroducing... (1998)
The Strokes -
Is This It (2001)
Iggy Pop -
The Idiot (1977)
R.E.M. -
Murmur (1983)
Maxïmo Park -
A Certain Trigger (2004)
Elastica -
Elastica (1995)
The Pharcyde -
Bizarre Ride II The Pharcyde (1992)

The xx - The xx (2009)
The Rakes - Capture/Release (2005)
Art Brut -
Bang Bang Rock & Roll (2005)
Oasis - 
Definitely Maybe (1994)
Hard-Fi -
Stars of CCTV (2005)

Interpol - Turn On The Bright Lights (2002)
Franz Ferdinand - Franz Ferdinand (2004)
Wu-Tang Clan - Enter the Wu-Tang (36 Chambers) (1993)
The Libertines - Up The Bracket (2002)
Gang of Four -
Entertainment! (1979)
"Largou a xícara sobre a fina camada de poeira e foi inspecionar seu velho toca-discos. Encontrou nele uma velha gravação de concertos de Vivaldi, colocou-a para tocar e sentou-se.

Esperou outra vez para ver o que faria em seguida e, para sua surpresa, descobriu que já o estava fazendo: ouvindo música.

Uma expressão desnorteada se espalhou pelo seu rosto quando ele percebeu que nunca havia feito aquilo antes. Tinha escutado música diversas vezes e achava o som muito agradável. Na verdade, gostava de discutir a temporada de concertos com ela ao fundo, mas nunca lhe ocorrera que era algo que você pudesse parar pra ouvir.

Ficou estupefato com a interação entre melodia e contraponto que se revelou de repente com grande clareza, apesar da superfície coberta de poeira do disco e da agulha de catorze anos de idade.

Mas essa revelação trouxe consigo uma decepção quase imediata, que o deixou ainda mais confuso. De repente, a música pareceu estranhamente frustrante. Era como se sua habilidade de compreendê-la tivesse aumentado de tal forma que ia muito além da capacidade da própria música de satisfazê-la, tudo no mesmo momento dramático."

Douglas Adams (Agência de Investigações Holísticas Dirk Gently, p. 143, ed. Arqueiro)
Talvez tenhamos nos esquecido de preencher o assunto da mensagem.
 
Enclave é a newsletter semanal do Jornal RelevO. Se você recebeu esse email, é
porque aderiu ao nosso mailing ou está em nossa lista de contatos (aí tomamos essa liberdade).

Se não quiser mais receber nossos emails, você pode remover sua assinatura clicando aqui 
ou alterar suas preferências nesse link. Mas prometemos não trazer nenhum textão do Facebook
para a sua lista de emails. Você pode ler todo o arquivo do jornal aqui.


IssuuFacebookTwitter